Criação de Valor

Criação de Valor

Visando a criação de valor para seus acionistas e ao aumento da competitividade em toda a cadeia produtiva da petroquímica e dos plásticos, a Braskem mantém seu compromisso de crescimento e desenvolvimento sustentável, sendo sua estratégia pautada em 3 grandes drivers de crescimento:

Brasil

  • Compromisso em suprir a crescente demanda doméstica por resinas termoplásticas, buscando adicionar valor às correntes já existentes.
  • Estrategicamente bem posicionada para capturar futura disponibilidade de matéria-prima.
  • E compromisso com a competitividade e desenvolvimento da cadeia petroquímica e dos plásticos brasileira.

Internacionalização

  • Ampliar presença em países com matéria-prima competitiva.
  • Ser o parceiro preferencial para o desenvolvimento da indústria petroquímica na América Latina.

Química Sustentável

  • Capturar as vantagens do etanol brasileiro e trazer soluções inovadoras que garantam a sustentabilidade da cadeia.
  • Desenvolver novas rotas de crescimento através do uso de matéria-prima renovável.
 

Brasil

  • Planta de PVC em Alagoas:

Com o objetivo de atender a crescente demanda brasileira de PVC e agregar valor às correntes já existentes, a Braskem anunciou, em maio de 2010, a construção de uma nova planta no estado de Alagoas, com capacidade de 200 mil toneladas por ano de PVC. A nova planta conta com tecnologia de ponta, permitindo ganhos em produtividade e custos de operação, e utiliza o volume excedente de EDC (dicloroetano) que era anteriormente exportado.

Foi o maior empreendimento concluído pela Companhia num prazo de 22 meses, com aplicação de 10 milhões de homem-hora sem ocorrência de acidentes. Foram gerados cerca de 3.800 empregos diretos durante a obra, dos quais cerca de 700 foram oriundos do programa de formação de mão-de-obra local.

A nova planta iniciou suas operações no 2T12, e atingiu sua taxa normalizada de operação já no 3T12.

O projeto foi financiado através de duas linhas de financiamento (i) com o BNDES no valor de até R$ 525 milhões, de prazo total de 9 anos, sendo 88% em reais com custo de TJLP+1,46%; (ii) e com BNB no montante de R$ 200 milhões, com prazo total de 12 anos a uma taxa de 8,5% a.a..

  • Expansão de Butadieno:

Aprovado pelo conselho de administração em março de 2011, o projeto, com capacidade anual de 100 mil toneladas e localizado no Pólo Petroquímico de Triunfo, ampliou em aproximadamente 30% a oferta de butadieno da Companhia, totalizando 446 mil toneladas anuais. O objetivo foi aproveitar a corrente de C4 bruto já existente e atender a crescente demanda global por butadieno.

Iniciado em 2011 e com 14 meses de duração, a expansão resultou na geração de 1,8 mil empregos no período, utilizando cerca de 2,9 milhões de homem-hora, sem ocorrência de acidentes.

O início de operação foi antecipado em um mês, para junho de 2012, e a nova planta atingiu sua taxa normalizada de operação no 3T12.

A Braskem investiu cerca de R$ 300 milhões na construção desta expansão. Para apoio ao financiamento do projeto, além dos contratos de pré-venda do produto (cerca de R$ 200 milhões), também foi contratada uma linha de financiamento junto ao BNDES no valor de até R$ 176 milhões, de prazo total de 9 anos a uma taxa de TJPL +2,68%.

  • PEBDL base metaloceno:

Em 2014, a Companhia finalizou o investimento para a expansão e conversão de uma das suas linhas de produção de polietileno na Bahia, para a produção PEBDL base metaloceno. Essa resina, de tecnologia mais moderna, busca suprir a indústria de transformação de filmes plásticos.

  • Projeto de flexibilização de matéria-prima na Bahia:

Com investimento de R$ 380 milhões, o projeto permitirá a flexibilidade no uso de até 15% de etano como matéria-prima na central petroquímica da Bahia. Este investimento contempla a modernização da unidade industrial e adequação da infraestrutura portuária e está previsto para início de operação no segundo semestre de 2017. Para fornecimento da matéria-prima, a Companhia assinou contrato de compra de etano importado dos Estados Unidos com uma empresa afiliada da Enterprise Products. O contrato tem prazo de 10 anos e preço baseado na referência internacional Mont Belvieu. 

  • Contrato de longo prazo com a Enterprise para fornecimento de propeno:

A Braskem firmou um contrato de fornecimento de propeno com a Enterprise Products, que está construindo uma planta desidrogenadora de propano (PDH) no Texas com capacidade anual de 750 mil toneladas prevista para iniciar suas atividades em 2017. O contrato tem prazo de 15 anos e a Enterprise Products fornecerá aproximadamente 16% da necessidade total de propeno da Unidade Estados Unidos e com preço de propeno baseado na referência internacional de mercado do propano.

 

Internacionalização

  • México - Projeto Etileno XXI:

No contexto da estratégia de internacionalização e acesso a matéria-prima competitiva, a Braskem em parceria com o grupo mexicano IDESA, com participação de 75% e 25%, respectivamente, venceu o leilão de contrato de etano realizado no final de 2009, para a construção de um novo complexo petroquímico no México. Localizado no estado de Veracruz, na região de Coatzacoalcos, o projeto Etileno XXI contempla a produção de cerca de 750 mil toneladas de polietileno de alta densidade e 300 mil toneladas de polietileno de baixa densidade a partir de etano, e é baseado em um contrato firmado com a PEMEX-Gás para o fornecimento de 66.000 barris/dia de etano por 20 anos, sendo seu preço de referência o gás norte-americano (Mont Belvieu).

O investimento total (incluindo CAPEX, inflação, contingências, juros e capital de giro) é da ordem de US$ 5,2 bilhões e foi financiado da seguinte forma: US$ 3,2 bilhões na modalidade de project finance (70% dívida e 30% equity) e US$ 2,0 bilhões de investimento dos acionistas controladores. A estruturação do financiamento foi concluída em dezembro de 2012, com a assinatura dos principais contratos de financiamento.

Em linha com o processo gradual de partida do complexo petroquímico do México iniciado em dezembro de 2015 com a área de utilidades, a Braskem Idesa registrou em março de 2016 a entrada em operação do cracker e especificação do eteno. Em abril, o complexo petroquímico atingiu mais um marco importante com a produção do primeiro lote de PE com a entrada em operação da primeira planta de PE.

  • Novo projeto de UTEC nos EUA:

O projeto inclui investimentos de aproximadamente US$ 35 milhões para a produção de resina UTEC (polietileno de ultra-alto peso molecular) na cidade de La Porte, Texas. A planta dos Estados Unidos complementará a capacidade da linha já existente no Brasil no polo petroquímico de Camaçari. Com tecnologia 100% brasileira, a resina UTEC tem aplicações em diversas indústrias, como extração de petróleo e construção civil. O start up da planta está previsto para o segundo semestre de 2016.

  • Outros MOUs na América Latina:

A Braskem possui projetos em estágios menos avançados no Peru, Venezuela e Bolívia.

 

Química Sustentável

  • Biopolímeros:

A Braskem concluiu em setembro de 2010, no prazo e no custo previstos, a implantação do seu primeiro projeto para produção de Polietileno Verde, ao inaugurar uma planta de eteno a partir do etanol de cana-de-açúcar, em Triunfo - RS, com capacidade de 200 mil toneladas/ano, no qual investiu cerca de R$ 500 milhões. Dessa forma, tornou-se a maior produtora de biopolímeros do mundo.