Estatutos e Políticas

Política de Investimentos

A Política de Investimentos da Braskem define a metodologia adotada para a avaliação, seleção, aprovação, gerenciamento e acompanhamento de seus investimentos. Tem por objetivo estabelecer uma gestão de investimentos capaz de produzir uma carteira de projetos que:

  • crie valor para seus acionistas,
  • esteja alinhada com os objetivos estratégicos da companhia e
  • seja robusta em distintos cenários.

 

A metodologia descrita nesta Política é complementada por procedimentos, que trazem as orientações a serem seguidas na condução dos processos relacionados aos investimentos e servem de referência aos profissionais encarregados da sua execução. São definidas, para fins desta Política, as seguintes classes de investimento:

  • operacionais, abrangendo, em categorias, todos os investimentos necessários à continuidade das atividades operacionais da companhia,
  • tecnologia e inovação e
  • estratégicos, que considera a implantação de novos projetos e aquisições.

A avaliação de um investimento, para fins de aprovação final, deve ser executada quando o projeto básico correspondente já estiver concluído.

O processo de avaliação de investimentos operacionais deve ser conduzido conforme as diretrizes do sistema de avaliação de investimentos da companhia, que estabelece:

  • critérios e mecanismos de avaliação técnica e econômica e
  • cadastro individual de cada investimento.

 

A metodologia de avaliação dos investimentos em tecnologia e inovação deve ser definida em procedimento específico.

Por fim, os investimentos estratégicos, além dos projetos cuja aprovação esteja no limite de alçada do Líder Empresarial (LE) ou do Conselho de Administração (CA), deverão ser objeto de uma avaliação individual, apresentada em um Relatório de Avaliação do Investimento.

2.1. Relatório de Avaliação do Investimento (RAI)

O RAI é o documento a ser submetido pelo Vice-presidente Executivo (VPE) ou Responsável pelo Apoio ao Empresariamento (RAE) ao LE para a aprovação de um investimento estratégico.

O RAI é composto de uma análise empresarial e de uma avaliação qualitativa. Tanto a análise empresarial quanto a avaliação qualitativa devem ser realizadas empregando as premissas, os cenários de referência e os procedimentos corporativos.

O RAE Investimentos deverá apoiar o VPE ou o RAE responsável pelo investimento na elaboração do RAI, de forma a assegurar a sua aderência aos procedimentos corporativos. 2.1.1. Análise empresária

A análise empresarial de um investimento deve ser composta por um Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE), em que sejam calculados o Valor Presente Líquido (VPL), utilizando a metodologia do fluxo de caixa descontado, a Taxa Interna de Retorno (TIR), o tempo de retorno do investimento (payback) e a relação VPL / VPI (Valor Presente Líquido / Valor Presente do Investimento), conforme detalhado em procedimento.

Quando o investimento apresentar um alto grau de incerteza devem ser utilizados também outros métodos de avaliação como a Teoria de Opções Reais.

Em projetos com risco de perda dos investimentos iniciais, situação incomum em projetos industriais, pode-se adotar o cálculo do Valor Monetário Esperado (VME), que determina o valor esperado de um investimento empregando probabilidades associadas a seus possíveis resultados.

A metodologia de análise do Valor da Informação pode ser utilizada no caso de investimento que tenha como objetivo produzir informações que diminuam a incerteza técnica de um projeto. Consiste em obter o valor líquido da informação a partir do cálculo do seu valor e custo de obtenção.

Na análise empresarial, além do cálculo de viabilidade técnica e econômica, devem ser também apresentadas análises de sensibilidade e cenarização. A análise de sensibilidade considera o impacto de uma variável no investimento, enquanto a cenarização avalia o reflexo de um cenário distinto, composto de mais de uma variável.

Adicionalmente, poderá ser realizada uma análise de risco, utilizando o método de Monte Carlo (construção de funções de probabilidade dos indicadores econômicos das principais variáveis do investimento), a abordagem por árvores de decisão e de probabilidades ou uma avaliação de riscos de processos e de engenharia de confiabilidade.

Por fim, para concluir a análise empresarial, o investimento deve ser submetido a uma avaliação que considere seus impactos no conjunto de investimentos da companhia, produzindo uma visão integrada da Braskem.

2.1.2. Avaliação qualitativa

Além da análise empresarial, os investimentos estratégicos devem ser submetidos a uma avaliação qualitativa que contemple os aspectos:

  • estratégicos,
  • tecnológicos,
  • de financiamento,
  • fiscais,
  • legais,
  • organizacionais e de recursos humanos,
  • ambientais e de sustentabilidade e
  • sócio-econômicos.

 

A avaliação qualitativa deverá incluir ainda uma análise das debilidades, ameaças, fortalezas e oportunidades (DAFO).

O processo de seleção de novos investimentos deve ser realizado anualmente. O montante total a ser destinado a novos investimentos será definido durante o ciclo de planejamento em função dos indicadores econômicos e financeiros obtidos no cenário de referência da companhia.

Respeitando as necessidades de manutenção da capacidade produtiva dos ativos e as políticas de segurança e meio-ambiente, a distribuição dos recursos entre as diferentes classes de investimentos (operacionais, tecnologia e inovação e estratégicos) será feita buscando maximizar os investimentos que gerem valor para a companhia.

Os valores definidos para os investimentos operacionais deverão ser suficientes para manter a capacidade produtiva da companhia, minimizar os riscos e atender os requisitos legais e as políticas de meio-ambiente e segurança. Para essa classe de investimento, a seleção será conduzida da seguinte maneira:

  • os projetos serão cadastrados no sistema de gestão dentro de suas respectivas categorias e avaliados segundo critérios padronizados,
  • o montante total de recursos será distribuído entre as diferentes categorias utilizando benchmarks, sempre que possível,
  • respeitando os orçamentos estabelecidos, a seleção será feita dentro de cada categoria segundo os critérios técnicos e econômicos definidos. No caso dos investimentos que busquem geração de valor, o universo de seleção será o conjunto de projetos da Braskem.

 

Os projetos de tecnologia e inovação, respeitando os limites orçamentários estabelecidos, devem ser selecionados de acordo com metodologia específica, definida em procedimento.

Os investimentos estratégicos e os projetos cuja aprovação esteja no limite de alçada do LE ou CA serão selecionados em função do seu desempenho técnico, econômico e financeiro, respeitando o montante estabelecido para esta classe de investimento.

Os investimentos que tiverem passado pelos processos de avaliação e seleção devem ser submetidos a aprovação, respeitando os limites de alçada definidos em procedimento específico, de acordo com a figura a seguir.

 

  • Novos investimentos operacionais somente poderão ser aprovados pelos VPEs e RAEs, dentro do seu limite de alçada, se não houver alteração no valor total dos investimentos aprovados para a Unidade correspondente e o conjunto das alterações não ultrapassar 10% (dez por cento) do valor total dos investimentos aprovados para a Unidade no exercício.
  • Novos investimentos estratégicos deverão ser avaliados como definido no item 2 e submetidos a aprovação pelo órgão de administração competente.

 

Na apreciação de um investimento, as seguintes recomendações deverão ser seguidas:

  • o VPL deve ser positivo, ou seja, a TIR deve ser superior ao Custo Médio Ponderado de Capital (WACC), no cenário de referência da companhia,
  • no caso de investimentos que envolvam tecnologia específica, deve ser assegurado o domínio da tecnologia de forma própria ou através de associação com parceiros que a detenham e
  • sem prejuízo dos índices de higidez financeira, todo investimento deve buscar uma estrutura de capital que maximize o retorno para os acionistas e aumente o potencial de criação de valor.

 

4.1. Atribuições

A aprovação de investimentos na Braskem segue o processo de governança existente, que estabelece as atribuições dos diferentes órgãos de administração da companhia, a saber:

Conselho de Administração. Aprova:
  • o Plano de Ação (PA) e
  • os projetos de investimento conforme determinado no Acordo de Acionistas e no Estatuto Social.

 

Comitê de Finanças e Investimentos. Toma conhecimento:
  • dos procedimentos decorrentes desta Política,
  • dos Relatórios de Avaliação do Investimento submetidos ao CA e
  • dos Relatórios de Acompanhamento de Investimentos descritos no item 6.

 

Líder Empresarial. Aprova:
  • os critérios de seleção e priorização de investimentos, metas e indicadores de gestão,
  • a alocação de recursos financeiros e investimentos dentro dos seus limites de alçada e
  • as ações para otimização dos investimentos em ativos e projetos.

 

O RAE Investimentos:
  • analisa, prioriza e acompanha todos os investimentos e desinvestimentos, assegurando a adoção das melhores práticas, a manutenção da higidez financeira e a otimizaçao na implementação,
  • elabora estudos econômicos e análises do ambiente competitivo,
  • participa na elaboração do PA,
  • analisa o desempenho e a execução orçamentária dos investimentos,
  • conduz o processo de governança dos investimentos a serem propostos ao LE e na interface com o CA, representando quando possível na governança externa,
  • prospecta e conduz oportunidades de novos negócios, em alinhamento com o LE ou com o executivo a quem tenha sido delegado o assunto,
  • propõe e gerencia, em alinhamento com o LE, a política de investimentos e os procedimentos de análise e aprovação de projetos,
  • gerencia a engenharia, o acompanhamento físico e financeiro dos grandes projetos e a contratação de equipamentos e serviços, envolvendo-se diretamente na sua implementação (exceto quando, na forma estabelecida na governança da companhia, a responsabilidade final do projeto estiver a cargo do Líder da Unidade de Negócio. Neste caso, a implementação será de competência do Líder da Unidade de Negócio, em alinhamento com o RAE Investimentos),
  • interage, em alinhamento com o RAE Finanças, com as receitas estaduais e federal na negociação, manutenção e otimização de incentivos fiscais para investimentos a realizar e já implementados,
  • interage, em alinhamento com o RAE Finanças, com o mercado de capitais e financeiro no Brasil e no exterior, em apoio à estruturaçao financeira de grandes projetos,
  • interage, em alinhamento com o RAE Finanças, com o BNDES para aprovação de linhas de financiamento para investimentos no Brasil e no exterior,
  • interage, em alinhamento com o RAE Finanças, com agências de fomento internacionais em apoio a linhas de financiamento para investimentos.

 

O RAE Finanças é o responsável por propor os indicadores e índices financeiros. Os VPEs e os RAEs são responsáveis por propor a carteira de investimentos de suas áreas e aprovar os investimentos constantes do PA, dentro dos respectivos limites de alçada.

Em complemento ao processo de seleção de projetos, deve ser realizada anualmente pelo RAE Investimentos, com o apoio dos demais RAEs e VPEs, uma avaliação integral do conjunto de ativos e investimentos estratégicos da Braskem.

A avaliação integral, composta de uma análise empresarial e de uma avaliação qualitativa, tem como objetivo testar, em cenários alternativos ao de referência da companhia, o comportamento tanto dos ativos existentes quanto dos investimentos aprovados pelo LE ou CA.

A análise empresarial será conduzida de forma probabilística. O desempenho dos ativos existentes e investimentos aprovados será estudado em diferentes cenários, permitindo calcular o seu Valor Esperado, seu Valor a Risco e seu Upside potencial.

A avaliação qualitativa buscará identificar características, sejam vantagens estratégicas ou riscos, dificilmente quantificáveis em avaliações econômicas. Deverá também incluir avaliações do potencial de crescimento, do impacto em outros ativos e das debilidades, ameaças, fortalezas e oportunidades (DAFO) dos investimentos.

A partir destas análises, deve-se identificar os investimentos ou ativos mais suscetíveis a variações de cenário. Ativos e investimentos que não atinjam os critérios mínimos de robustez, ou que revelem um elevado potencial de upside,devem ser objeto de uma avaliação mais detalhada.

A aplicação de uma sistemática probabilística complementar permite otimizar o processo de seleção de investimentos, apoiando a elaboração do planejamento estratégico e melhorando o processo de definição do conjunto alvo de investimentos e ativos da companhia no longo prazo.

A implantação e o desempenho dos investimentos devem ser permanentemente acompanhados.

Os investimentos em fase de implantação devem ser objeto de um acompanhamento contínuo que permita a adoção de medidas corretivas em tempo hábil.

Os investimentos já concluídos devem ter o desempenho real comparado com o previsto na época de sua aprovação (Pós-EVTE), gerando subsídios para a melhoria da sistemática de aprovação e implantação de investimentos na Braskem.

6.1. Acompanhamento da Implantação de Investimentos

O acompanhamento da implantação dos investimentos é responsabilidade dos VPEs com o apoio do RAE Investimentos, devendo:

  • ser contínuo, durante todo o período de implantação do investimento,
  • identificar eventuais desvios e causas, impactos e tendências,
  • propor medidas preventivas e/ou corretivas a serem adotadas.

 

No caso de investimentos que continuem recebendo recursos após sua entrada em operação, o processo de monitoramento deverá seguir até o desembolso final, quando só então haverá o encerramento.Os responsáveis por investimentos devem enviar trimestralmente um informe para o RAE Investimentos que elaborará um Relatório de Implantação de Investimentos, consolidando todos os investimentos em implantação da companhia. Este relatório tem como objetivo monitorar a eficácia dos investimentos em implantação, fornecendo subsídios para o LE e demais órgãos de governança, conforme disposições específicas.

6.2. Acompanhamento do Desempenho de Investimentos

Com o objetivo de avaliar o desempenho dos investimentos já concluídos, comparando o desempenho real com o previsto na época de sua aprovação, devem ser realizados acompanhamentos de desempenho dos investimentos (Pós-EVTE), selecionados de acordo com procedimento específico.

Este acompanhamento possibilita a aprendizagem organizacional na medida em que sejam identificados desvios e ações preventivas e corretivas.

Sob responsabilidade do RAE Investimentos deverá ser elaborado semestralmente, para apresentação ao LE e demais órgãos de governança pertinentes, um Relatório de Desempenho de Investimentos, contendo as análises de Pós-EVTE conduzidas no período.

 

Clique aqui para acessar a Política de Investimento.